terça-feira, 1 de abril de 2014

"Sem cobranças!"

Não se cobra atenção, nem sentimento
Que se não vem por gosto não compensa.
Pois, se for pra valer que me convença
Não com frases, mas por comportamento.

Há dois fins naturais pra o sofrimento:
Ou uma espera ao final tem recompensa
(Pondo fim ao que lhe causava a ofensa)
Ou deleta-se o amor do pensamento!

Nunca é fácil acertar na decisão
Mas, o amor não nasceu pra o coração
Viver sempre sentindo, apenas, dor...

Quem espera demais um dia cansa
E eu não vou lhe fazer qualquer cobrança
Mas, não espere eu voltar quando eu me for!

Pedro Torres

Último Porto!

Sem querer, sem sonhar, sem esperança
Decidiu por um fim na própria vida!
Que ninguém vive só de ter lembrança
E, estas, tem só quem tem vida vivida.

Sua alma vagava, assim, perdida
Prosseguindo no curso da mudança
Vegetando, com toda a segurança,
De quem luta batalha já vencida.

Dirigiu-se à beirada de um abismo
Esquecido da fé, do catecismo,
Consciente que iria ao último porto...

Com seus olhos vidrados no infinito
Sem amor, sem saudade, no seu grito
Quis matar-se, porém, já estava morto!

Pedro Torres

Se não sabe a quem dar seu coração Eu prefiro sair da sua vida!

Se o melhor é amar que ser amado
Eu não tenho a pergunta pra resposta
Porque sei só de quem meu peito gosta
E que amor não é só ser desprezado.
Quem só tem uma dúvida do lado
É melhor ter certeza na partida
Que recíproca nunca é dividida
Com quem compra parcelas de ilusão
"Se não sabe a quem dar seu coração
Eu prefiro sair da sua vida!"

Pedro Torres
Mote da poetisa Lucélia Santos

A saudade é essa lágrima Que escorre lenta na face

A saudade é essa lágrima
Que escorre lenta na face
Calada, quente, desliza
Desenhando aonde passe
As gravuras de uma lápide
Dum sonho que não renasce.

Pedro Torres

Eu já sei que você não me merece Que esse teu coração não vale nada

Eu já sei que você não me merece
Que esse teu coração não vale nada
Mas, que posso fazer, minha adorada
Se esse meu coração nunca te esquece?

Pedro Torres