sábado, 1 de fevereiro de 2014

Sem que, nem verbo, poesia!

Palavras e frases, canções melodias
Com versos e inversos de doces receitas
Nuance de cores por luzes perfeitas
De até certo ponto em tons de poesias...

Caminhos sem rumos, e estradas vazias
Nos rastros e curvas de ruas estreitas
Mentiras sinceras, sem hipocrisias,
Perfume das flores de olentes colheitas

Das linhas contíguas em cada quarteto
Ao cume elevado do fim do terceto
Todo o brilhantismo no final da meta

Cadência de rimas no encontro do par
E toda a esperança na íris do olhar
Do sonho sem verbo de um peito poeta.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...