quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Os Barcos

Como barcos perdidos sem ter norte
Nos perdemos na rota de ilusões
Procurando encontrar nas direções
Algum porto seguro em que se aporte.

Nunca é fácil, na dor, tentar ser forte
Porque a dor se acomoda nas razões
E se a ausência machuca os corações
Não tem esse remédio para o corte.

Ela esteve comigo nas tormentas
Tempestades de inveja, violentas
Como prova maior da lealdade...

Acordamos depois, já naufragados,
Num oceano de sonhos, rebocados
Pelo barco pesqueiro da saudade.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...