sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Meu castelo de saudade

Meu castelo de saudade
Vive hoje mal-assombrado
Por fantasmas do passado
Quando foge a claridade.
Nos porões da mente a grade
Da cela que a dor povoa
E o silêncio que atordoa
No quintal de um templo rústico
Meu peito, salão acústico
Lugar que a saudade ecoa.

Pedro Torres.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...