terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Judas

Minha Cumade Dayane Rocha de Brejinho de Tabira fez um soneto pra um amor de enganação e eu como sei da "história" não resisti em advogar pelo coitado... (risos)

Ela disse:

Judas

És a causa maior do meu desgosto
A pior ilusão que eu já provei
Sinto raiva de mim porque fiquei
Muito tempo sentindo o amargo gosto.

A tristeza reflete no meu rosto
A angústia me toma porque sei
Nessa história fui eu que mais errei
Por deixar o meu peito assim exposto.

Tantas juras dizendo que me amava
E você loucamente me enganava
Com suas feias palavras secas, mudas

Sinto o meu coração aborrecido
Hoje vive doente, enfurecido
Por saber que amava um triste Judas.

Dayane Rocha

Defendendo o tal "Judas" eu disse:

Judas?!

Eu não sei que desgosto sentirias
Se não tens gosto algum pra (des)gostar
Pra perderes não tens que antes ganhar?
Pois, no caso, perdoe-me as ironias...

Tu não podes querer se reclamar
Pois, causaste a ti mesma as agonias:
Se o que dei foram só palavras frias
Porque diabos alegas se queimar?

Não entendo direito esse teu jogo
Mas, pareces ardendo nesse "fogo"
Da fogueira do ilúcido desejo...

Se não tens meu sabor, pois, não te iludas
Que a pessoa pra ser esse teu "Judas"
Não teria que ter te dado um beijo?

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...