terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Terceiro soneto

Nosso amor inda hoje nos dá frutos
Na lembrança que o tempo nunca apaga
Que a distância ferindo, feito adaga,
Corta o brilho do olhar de dois matutos.

Sem deixar nossos olhos ser enxutos
Outros erros, por cima dessa chaga,
Faz o orgulho covarde encontrar vaga
Pra furtar de nós dois alguns minutos

E os minutos perdidos são tristonhos
Que a saudade não morre ...e os nossos sonhos
Nos olhares perdidos, vagam esmos.

Mesmo assim, suportando estes espinhos
Dividimos, os dois, nossos caminhos
Procurando no mundo por nós mesmos!

Pedro Torres


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...