quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Porque a mente somente faz barulho Quando a boca se cala com saudade.

"Então vamos falar das tais razões
Que você tanto alega possuí-las?"
Tenho a minha consciência entre as tranquilas
Mas, não fujo de boas discussões...
De alguns erros tirei muitas lições
E sou fã de quem tem sinceridade
Se você não quer ver minha verdade
Abra os olhos pra ver seu próprio orgulho
Porque a mente de alguém só faz barulho
Quando a boca se cala com saudade.

Lado a lado é possível descobrir
De nós dois quem ainda tem amor
Que a saudade se faz lápis de cor
Pra no encontro de olhares colorir.
Pois, no brilho que tem no refletir
Da pupila de dois apaixonados
Na aquarela dos olhos traz, pintados,
Mil segredos contidos num soneto
E os mistérios de um caso em branco e preto
Pelas cores nos beijos revelados.

Pedro Torres

Nessa seca de carinho
Negando meu sentimento
Vejo, varridas no vento,
As folhas do meu caminho.
Quem me feriu como espinho
Já foi flor do bem querer
Que eu tentei me esquecer
Sem conseguir, na verdade
"Meu riacho de saudade
Nunca parou de correr..."

Na barragem do meu peito
Não guardo mais ilusões
Que é inútil ter mil razões
Se o que passou, tá sem jeito...
Nessa seca no meu leito
Vejo a lembrança chover
Mas, busco me proteger
Pra não molhar na vontade
"Meu riacho de saudade
Nunca parou de correr..."

Pedro Torres
Mote de Pedro Tunú

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...