terça-feira, 5 de novembro de 2013

Das águas ribeiras que correm pro mar.

Não prende teu riso, na dor da saudade,
Não deixa "esse rio" secar, por favor...
Não deixa essa mágoa, na chaga do amor,
Ferir teu sorriso de felicidade...
Liberta teu canto, com toda vontade,
Que a força do peito puder liberar
Tu jamais precisas teu rosto pintar
Pois, deste hemisfério és toda beleza
E teu riso é lindo, como a correnteza,
Das águas ribeiras que correm pro mar.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...