domingo, 20 de outubro de 2013

Se o teu peito sentir saudade minha Não me culpe que eu sei que a culpa é sua.

Não fui  eu que inventou toda a distância
Que separa um casal apaixonado
Mesmo assim, eu assumo o meu pecado
De guardar com vontade a minha ânsia.
Que meu peito tem marcas da inconstância
Desse humor que se altera como a lua
Cada fase de amor, com a alma nua,
Vivi sonhos traçados "na folhinha"
"Se o teu peito sentir saudade minha
Não me culpe que eu sei que a culpa é sua."

Você fez o que quis, com a liberdade
De voltar, se assim fosse seu desejo,
E quase morro na ausência do seu beijo
Com meus lábios já secos, de saudade.
Serviu quente a vingança, é bem verdade,
Mas, quem corre demais, a come crua...
Pois, não posso aceitar quem insinua
Que meu reino ficou sem ter rainha
"Se o teu peito sentir saudade minha
Não me culpe que eu sei que a culpa é sua."

Pedro Torres
Mote de Dayane Rocha

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...