quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Os anos

Passa a vida no tempo, e acumulamos
Um' agregado de sonhos e quimeras
Sem ciência dos erros que somamos
Na contabilidade, ao fim das eras.

Nossa infância, esta flor das primaveras,
Passa rápido e apenas contemplamos
Na adolescência, quando apaixonamos
Na primeira ilusão, das vãs esperas.

Vida adulta, sem divisão de fase,
Cada viga de engano forma a base
De um castelo de dor, e desenganos

Quando a última esperança cai no sono
Já no fim da existência, chega o outono,
Na folhagem da árvore dos anos.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...