segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Música de Plástico

Peço licença a vocês para expor estes versos sobre um troço que há dias vem incomodando a minha alma. Dizem do meu pensamento a respeito de um tema delicado:

Música de Plástico

Há muito tempo a cultura
Vem sofrendo a ditadura
Da pornografia pura
Se expandindo como elástico...
Enquanto isso as canções
Que tocam nos corações
São trocadas por refrões
De uma música de plástico.

Belas notas musicais
Servindo às letras banais
Destes dejetos fecais
Que não sei como alguém gosta...
Dizem ser por passatempo
Mas, pra mim é contratempo
E não vou gastar meu tempo
Tentando ouvir esta bosta.

"Dança da pirikitinha";
"Abaixa e sobe a bundinha";
"Enfica e fica facinha";
O panorama é complexo...
Iludindo a juventude
Chamam a isso de saúde
Não quero parecer rude
Mas, o nome disso é Sexo!

Todo esse eroticismo
Não faz bem ao organismo
Inda mais quando o cinismo
De uma indústria lhe condena...
Pois, quem escraviza gente
Visando lucro, somente
Quer dominar sua mente
Para a exploração sem pena.

"Vendem" que beber é bom
Que no paredão do som
Só as 'Tops' dão o tom
Pra farra ser "animada..."
E quem quer ser "popular"
Termina sendo vulgar
Que é diferente o falar
De ser muito mal falada.

E há quem julgue estas condutas
Chamando 'as minas' de putas
Mas, sem dar valor as lutas
Da mulher, se contradizem...
Corpinho sarado passa
Rostinho liso se amassa
Mas, na moral e na graça
Mulheres, se valorizem!

"Boyzinho", tenha respeito
Não é só um par de peito
Pois, defenda esse direito
Não passe por vagabundo...
Dê valor ao riso delas
Seja mais gentil com elas
Que são as coisas mais belas
Que Deus botou nesse mundo!

Pedro Torres.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...