terça-feira, 8 de outubro de 2013

"Meu orgulho é ser nascido Nos carrascais do sertão."

Alguns versos que estarão no meu livro e que decidi publicar hoje pela ocasião do dia do Nordestino.

Lhes digo sem nem talvez
Sou do sertão nordestino
Não me orgulha ter 'ensino'
Nem saber falar o inglês.
Me admira é o português
Falado no meu torrão
E sou mais um Gonzagão
Que um estrangeiro metido
"Meu orgulho é ser nascido
Nos carrascais do sertão."

"eu não troco meu oxente
Pelo okay de seu ninguém*"
Respeito ser diferente
Pra ter respeito também.
Carne de sol com xerém?
Melhor não conheço não
Gosto demais do feijão
De corda, e bode cozido
"Meu orgulho é ser nascido
Nos carrascais do sertão."

Das riquezas naturais
Do meu sertão nordestino
Asa branca é o meu hino
Nas estações musicais.
E acho até que lá tem mais
Estrelas na imensidão
Nas noites de escuridão
Que o céu é todo 'inxirido'
"Meu orgulho é ser nascido
Nos carrascais do sertão."

Se dá saudade? "e apois"
Dá saudade e é desmedida
Da minha terra querida
Do som dos carros de bois
Da música que deus compôs
No ouvir cantar o carão
E o som da chuva no chão
Quando o tempo é invernido
"Meu orgulho é ser nascido
Nos carrascais do sertão."

Posso estar sendo exigente
Mas, não tem outro lugar
Pra gente querer morar
E até se sentir mais gente.
Depois da seca inclemente
- que cinza a vegetação -
Bonito é ouvir trovão
Pintar tudo no estampido
"Meu orgulho é ser nascido
Nos carrascais do sertão."

(Continua...)

Pedro Torres
Mote de Pedro Tunú (Pai)
*Frase célere do Pernambucano Ariano Suassuna.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...