terça-feira, 8 de outubro de 2013

E muitas vezes me sinto prisioneiro Mesmo estando com plena liberdade!

Procurei me afastar, por precaução,
Que em meu peito não cabe mais pancada
Mas, minh'alma parece aprisionada
Nestas grades da minha solidão...
Sem querer mais ferir meu coração
Pela algema invisível da saudade
Procurei me livrar dessa vontade
Que me prende nos braços do teu cheiro
"E muitas vezes me sinto prisioneiro
Mesmo estando com plena liberdade!"

Pedro Torres
Mote de Fifita Luciano

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...