quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Cada vez que a distância entra na roda Faz um samba do nosso sentimento

Cada vez que a distância entra na roda
Faz um samba do nosso sentimento
E é difícil negar, no fingimento
Que essa ausência irreal, nos incomoda.
Quando o espinho da dúvida, se poda,
E a tesoura do tempo fica cega
No semblante o desejo nunca nega
Que a saudade "valendo" caça jeito
Toma conta dos olhos, e do peito
E a vontade do beijo nos entrega.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...