sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Mas, se for pra matar, mate a saudade Que eu não quero matar um sonho vivo.

Nunca vou lhe acusar sem ter razão
Que não quero razão só pra estar certo
Mas, não posso querer ficar por perto
De quem não necessita de atenção...
Já feri, noutra feita o coração
E compreendo demais o "seu motivo"
Você sabe que não sou possessivo
Que acredito no amor com liberdade
Mas, se for pra matar, mate a saudade
Que eu não quero matar um sonho vivo.

Pedro Torres

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...