segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Marinheiro que faz muitas viagens Não se perde alegando não ter porto

Nosso amor se perdeu na insegurança
De quem não sabe ter sinceridade
E sem negar existir muita saudade
Decidiu desmanchar nossa aliança.
Guardo vivo, somente, na lembrança
Os momentos já mortos, ancestrais
Pois, parece, eu cheguei tarde demais
Pra fazer da sua estória a minha história
"Na parede pintada da memória
Tua imagem é o quadro que dói mais."

Entre tapas e beijos, raiva e amor
Nosso amor aos pouquinhos vira eterno
Alternando entre céus e algum inferno
Para 'as pazes' ganharem mais sabor...
Entre galhos e espinhos nasce a flor
E o perfume nos ata em cada abraço
Se o ciúme nos causa um embaraço
Basta o olhar mais sincero e logo cessa
"Acontece que a história não tem pressa
E o amor se conquista passo a passo"

Se fiquei todo tempo sem alguém
E a saudade deitava em minha cama
É difícil entender a quem reclama
Sem dizer 'por onde andou' também...
Não que eu sinta ciúmes de ninguém
Se esclareço é somente por saber
Quanto dói ter lhe ter muito bem querer
Pra lhe ver comparada com 'safira'
"É melhor um 'te amo' de mentira
Que amar de verdade e não dizer."

Tão intenso é o amor que se perdoa
Que se quebram silêncios e amargura
E as feridas que o tempo traz a cura
Faz a vida sorrir para a pessoa.
Dá no peito uma sensação tão boa
Que parece ser boa ...até saudade
Mas, se cuida em manter a intensidade
Pra queimar lentamente a sua chama
Que é assim que acontece com quem ama
Plenamente, por toda a eternidade.

Não se ocupe em me impor os seus limites
Que conheço de longe os seus sinais
Prometi pra mim mesmo, e nunca mais
Ouvirei da ilusão os seus palpites...
De saudade, ademais, estamos quites
Que não cobro esperança a um peito morto
E mesmo ainda existindo um desconforto
Cobrirei com o tempo as tatuagens
"Marinheiro que faz muitas viagens
Não se perde alegando não ter porto"

Eu pensei que teu peito conservasse
Os valores que o meu coleciona
Que não faz "fileirinha" ou se apaixona
Por carinho fingido, ou de outra classe!
Mas, por mais que na vida o tempo passe
Ninguém ganha um amor se não merece
E nas voltas que dá, no sobe e desce,
Caçador qualquer dia vira caça
"Passa tudo na vida, tudo passa
Mas, nem tudo que passa a gente esquece."

Pedro Torres
Mote de Raimundo Asfora

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...