terça-feira, 17 de setembro de 2013

As vezes a inspiração Vem de um sonho interrompido

As vezes a inspiração
Vem de um sonho interrompido
Dum inverno que viu flores
E depois foi ressequido
Ou da saudade batendo
Num peito velho ferido.

Meu peito, por essas horas
Já fechava o expediente
Depois de um dia inteirinho
Pegado nesse 'batente'
Mas, eis que chega a saudade
Cliente muito exigente.

Seu coração com o meu
Conversa longe dos medos
Como quem se identifica
Pelas digitais dos dedos
Ou como se as nossas almas
Compartilhassem segredos.

Saudade as vezes machuca
D'outro modo muito duro
Levando a cara da gente
A bater no mesmo muro
De quem quer ter, no presentem
Um passado sem futuro.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...