sexta-feira, 13 de setembro de 2013

A ciência teria descoberto Como é que se faz um grande amor.

Se algum dia a ciência, nos dons seus,
Descobrisse o segredo das manhãs
E o mistério no gosto das romãs
De uma cópia fiel dos beijos teus...
Se sentissem, por nós, a dor do adeus
E a saudade não mais causasse dor
Se pudessem do sol tirar calor
Pra clonar nosso abraço 'bem de perto'
A ciência teria descoberto
Como é que se faz um grande amor.

Nosso encontro marcante estabelece
Pra nós dois ...uma divisão de eras
Das floradas de amor nas primaveras
Ao perfume que a gente nunca esquece...
Qualquer dia a razão 'inda' amanhece
Como um sol de esperança que se pôs
Ressurgindo no inverno, bem depois
Numa chuva de amor e de carinhos
Com mil flores cheirosas, sem espinhos
Perfumando os caminhos de nós dois.

Pedro Torres

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...