sexta-feira, 30 de agosto de 2013

E minha vida é esse livro sempre aberto Mas, não é qualquer um que nele escreve

Por enquanto, estou só, mas não me iludo
Você nunca se dá por satisfeita
E, no entanto, não faço essa desfeita
De ser nada pra quem quer ser seu tudo...
E até tento mudar, mas eu não mudo
Que não cobro um carinho a quem não deve
Todo encontro ocorrido é muito breve
Pra quem mesmo distante quer tá perto
E minha vida é esse livro sempre aberto
Mas, não é qualquer um que nele escreve.

Declamando alguns versos "roedeira"
Que os amigos pediam, insistentes
E eu pedindo ..."que fossem pacientes
Porque a minha saudade é "doedeira”...
Só a cerveja embalava a sexta-feira
No apagar-se das luzes da ribalta
E meu peito gritando na voz alta
Toda falta que faz o seu carinho
Sexta-feira co' amigos num barzinho
E você insistindo em fazer falta.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...