terça-feira, 16 de julho de 2013

Tô fumando o cigarro da Saudade E a fumaça escrevendo o nome dela

De meu peito varrida a cinza vã
Clareou-se em meu céu a noite escura
No calor mais intenso da natura
Pelo abraço sincero de manhã...
Natureza com gosto de hortelã
Fez seu beijo sabor de seriguela
Deixar marcas profundas por sequela
E só sai, com mais beijo, na verdade
"Tô fumando o cigarro da Saudade
E a fumaça escrevendo o nome dela"

Pedro Torres
Mote apresentado por Esdras Galvão

Depois de 'bulir' na ferida saiu assim poeta:

Apesar de ter nossas desavenças
Nosso amor resistiu às tempestades
Nas tormentas de dor e de saudades
Que navegam as nossas diferenças...
Esperamos do tempo as recompensas
Pela história vivida na metade
Enfretando as procelas da maldade
Como náufragos nos mares da distância
Retirando do amor a substância
Pra chegarmos na praia da Saudade.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...