quinta-feira, 4 de julho de 2013

"Pro destino escrever um novo caso É preciso apagar o caso antigo."

Se você só se esquiva por ter medo
Não tem medo que faça eu desistir
Se o destino é andar eu vou seguir
Pela estrada mais clara desse enredo
Como luz colorida à manhã cedo
Removeste de mim a escuridão
Com teus olhos bonitos no clarão
Desse escuro que estava a minha dor
"Um espírito de luz chamado amor 
Me tirou do umbral da solidão." 

Cabisbaixo, em tristeza embevecido
Como quem não vivia um lindo sonho
Vi você remover-me do tristonho
...Pesadelo, com teu olhar despido.
Fez do dia cinzento um colorido
De mil luzes de amor na imensidão
Teu abraço sincero, com paixão
Fez minh'alma arder-se no calor
"Um espírito de luz chamado amor 
Me tirou do umbral da solidão." 

Como a vida da gente fosse a lousa
Que o destino lhe escreve sem ter giz
Nesse dia do encontro mais feliz
Eu senti em meu peito um 'qualquer cousa'...
Como pássaro cansado quando pousa
Numa copa de árvore e faz o abrigo
Encontrei em teu peito o meu jazigo
Pra enterrar meu abraço, e por acaso
Pro destino escrever um novo caso
É preciso apagar o caso antigo.

Pedro Torres
Primeiro mote de Raimundo Nonato

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...