quarta-feira, 10 de julho de 2013

Passarinho que canta na prisão É pedindo, por Deus, a liberdade.

"Passarinho que canta na prisão
É pedindo, por Deus, a liberdade."

Pedro Torres

Ser liberto é viver em harmonia
É estar sempre bem de alma nua
É sentir o raiar do sol, e a lua
Contemplar pra sentir sua energia
Quem é livre sorrindo contagia
Nem sequer sente dor, raiva e saudade.
Não precisa sofrer atrás da grade
Maltratando o bater do coração
Passarinho que canta na prisão
É pedindo, por Deus, a liberdade.

Ser poeta é saber viver feliz
É pensar e expor seus pensamentos
É sentir o amor com sentimentos
Escrever sem ter lousa e sem ter giz
Excluir a palavra infeliz
Que quem vive assim só tem maldade
Não tem brilho nos olhos de verdade
Vive preso num mundo de ilusão
Passarinho que canta na prisão
É pedindo, por Deus, a liberdade.

Nossa mente é quem prende a nossa alma
Mesmo estando o corpo desprendido
Quem se prende assim está perdido
Só a mão do senhor é quem acalma
Uma vez acalmado a alma é calma
Vive em paz, tem de Deus a piedade.
Uma luz de amor o peito invade
Libertando o fiel dá tentação
Passarinho que canta na prisão
É pedindo, por Deus, a liberdade.

O cantar fica triste a pena feia
De uma ave que está engaiolada
Melodia sem nota entoada
Deixa o canto trancado na cadeia
Ao invés de ciscar pela a areia
Se entreva sem força e sem vontade
Não produz nem um terço da metade
Da espécie da sua geração
Passarinho que canta na prisão
É pedindo, por Deus, a liberdade.

Fiquei preso ao amor dessa mulher
Foram anos vivendo ao seu lado
Hoje vivo tristonho acorrentado
Como um ébrio vagando, um qualquer.
Topo tudo, pra mim o que vier.
Tô no lucro, nem penso em vaidade.
Ela foi eu fiquei nesta cidade
Que eu criei pra viver na escuridão
Passarinho que canta na prisão
É pedindo, por Deus, a liberdade.

Autor dos versos: Rubens do Valle.
Mote, meu caro: Pedro Torres Filho
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...