quarta-feira, 17 de julho de 2013

Palhaço que ri e chora

Mote retirado das estrofes memoráveis do mestre Lourival Batista

No peito a ferida arde
Feito corte de navalha
Mas, por fora ele gargalha
Pra não parecer covarde...
Se lembra que chegou tarde
Da mocidade de outrora
Do seu rosto o riso aflora
E ele o carrega pro centro
Sem mostrar a dor de dentro
"Palhaço que ri e chora"

Por risos e palhaçadas
Esquece seus machucados
Que deixa em porões fechados
Com suas mágoas passadas...
E a plateia às gargalhadas
Reclama o passar da hora
Mas, ele apenas demora
Se preparando pra cena
De uma alegria que encena
"Palhaço que ri e chora"

Carregando uma ferida
De antigas outras derrotas
Mesmo assim dá cambalhotas
No picadeiro da vida...
Escondendo a dor sentida
Numa lembrança se escora
Coloca um riso pra fora
E ainda que fique triste
Canta, ri, dança, persiste
"Palhaço que ri e chora"

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...