sexta-feira, 5 de julho de 2013

Eu quero beber você Como uma pinga barata

Eu quero beber você
Como uma pinga barata
Daquelas que queima o peito
Desce rasgando e maltrata
Depois dá um nó na alma
Que só num beijo desata

Também quero te provar,
Como um suave licor,
Sorver em toques sutis,
Saboreando o calor,
Me embriagar de desejo,
No cálice do teu amor.

Quero sentir teu abraço,
Se enroscado no meu,
Tu me chamar nos cabelos,
Contando um segredo teu,
Beijando as marcas vermelhas,
Do tapa que o amor nos deu

Deixar a mão caliçada,
De tanto fazer carinho,
E abraços mais aquecidos
No calor do nosso ninho,
Como se tu e eu fosse,
Um casal de passarinho.

Tuas curvas sinuosas
Quero correr sem receio
Desligar o GPS
Sem nunca pisar no freio
Como quem sabe onde vai
Mas, só se perde no meio

Pro caminho decidido
Não precisa direção
Quando andamos sem sentido
Não pegamos contramão
Nem tem chegada e partida
Na estrada do coração.

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...