segunda-feira, 1 de julho de 2013

E o piano é um cemitério de harmonias Dormindo na mudez da noite morta!

Nossa música cala-se nesta tarde
Em que um pressentimento bom nos toma
Como um palhaço que no circo doma
Dores íntimas que em seu peito arde
Digo em silêncio, sem fazer-te alarde
Que em mim entraste sem abrir a porta
E o vento gélido que minh'alma corta
Faz de saudades as horas mais sombrias
"E, do piano, um cemitério de harmonias
Dormindo na mudez da tarde morta!"

Pedro Torres
Mote: Rogaciano Leite
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...