quinta-feira, 6 de junho de 2013

Se ser bom não tem valor Vou ser ruim pra ver se presta

Eu procurei ser bonzinho
E ter bom comportamento
Que flores de sentimento
São regadas com carinho
Já fui o seu "rapazinho"
E hoje você me detesta
E eu sem querer ir em festa
Pra não trocar seu calor
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta

Seu coração já foi meu
E eu também lhe pertenci
Dos calores que senti
O mais quente foi o seu
Mas, depois que se esqueceu
Saudade é tudo que resta
E orgulho é coisa indigesta
Para eu provar seu sabor
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta

Pedro Torres
Mote: Dayane Rocha

Meu tempo lhe dediquei
Sem obter resultado
Percebi não ser amado
E o meu peito eu mutilei
Tantas vezes que chorei
Hoje a saudade se enfesta
Mais sentimento não resta
Muito menos meu amor
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta

Ana Clara Souza
Mote: Dayane Rocha

Te ofertei meu coração
Você fingiu aceitar
Eu quis te dar por te amar
Mais você jogou no chão
Me ofertou só ilusão
lançando em mim uma fresta
Eu me tornei sua resta
Causando somente dor
Se ser bom num tem valor
vou ser ruim pra ver se presta.

Eu tentei ser muito boa
Mas meu tentar foi errado
Meu coração mendigado
Não vale mais que uma broa
Eu fico sorrindo a toa
Feito “beba” numa festa
Escrevi em minha testa
Não quero mais teu amor
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta.

Dayane Rocha

Não darei mais nem bom dia
Nem darei nada emprestado
Vou ficar chato e folgado
E falar só putaria
Vou sorrir com picardia
Da desgraça mais funesta
Vou ser cabra da mulesta
Falastrão e enganador
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta

Azarar mulher de alguém
Bem na frente do sujeito
Vou secar seu par de peito
E o bumbum que ela tem
Emprestar nenhum vintém
Perturbar numa seresta
Desmatar uma floresta
E virar sonegador
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta

Torcer contra a seleção
E votar num direitoso
E virar cabra seboso
Mentiroso e falastrão
Entregar para o patrão
Se alguém dormir a sesta
Quem assim peitar de testa
Dou-lhe um contra vapor
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta

Allan Sales

Eu tive todo cuidado
Sempre fui um bom sujeito
Tratei todos com respeito
Mas nunca fui respeitado
Vou virar cabra safado
Deixar a vida modesta
Começar brigar em festa
E bagunçar aonde for

Valdenor de Almeida

Dar tiro em cabra ruim
Careta para um Saguim
Vou dar pisa em moribundo
Eu seco um mar num segundo
Acabo toda floresta
Extermino toda festa
Acabo com professor
Se ser bom não tem valor
Vou ser ruim pra ver se presta

Josa Rabelo

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...