segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Sim

Eu também imagino a cena
Do teu sorriso matreiro,
Ao encontrar-se com o meu.
Como se conversássemos com os olhos,
Sem uma palavra dita?!

Trocando segredos nossos.
Preciosos, eternos, segredos.
E fico com um sorriso solto no ar.
Meio bobo, consciente. à esperar...
Ah! Gosto do teu idioma, da gramática.

Pedro Torres

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...