sábado, 11 de agosto de 2012

A Paixão de Cristo, por Pe. Brás Costa

O padre e poeta Brás Ivan Costa Santos, agraciado pelo dom Divino da poesia, redigiu estas estrofes no mote do mestre Zé de Cazuza, inda pedindo perdão pela insuficiência de seus versos.

Referindo-se ao abençoado mote do mestre Zé de Cazuza:

"JESUS CRISTO PAGOU SEM DEVER NADA
A QUEM NUNCA COBROU DE QUEM DEVIA."

O poeta Pe. Brás Costa disse:

Jesus Cristo, o Filho do Deus vivo
Deus de Deus, Unigênito, Luz da Luz
Carregou sem dever a sua Cruz
Condenado a morte sem motivo
Nesse tempo Israel era cativo
Ao império romano obedecia
Sem que Roma mandasse não podia
Ser a pena de morte decretada.
JESUS CRISTO PAGOU SEM DEVER NADA
A QUEM NUNCA COBROU DE QUEM DEVIA.

Sendo Herodes tetrarca "rei"-vassalo
Incapaz de assumir seus próprios atos
Ordenou que o levassem a Pilatos
De quem era o direito de julgá-lo
Mas, Pilatos cansou de interrogá-lo
E Jesus sendo Deus não respondia
Se Pilatos matá-lo não queria
A sentença já tinha sido dada.
JESUS CRISTO PAGOU SEM DEVER NADA
A QUEM NUNCA COBROU DE QUEM DEVIA.

Sendo assim Jesus-Deus ficou sozinho
Ao invés de Hosana ouviu desdenho
O seu trono um desconfortável lenho
A coroa cravada de espinho
Sua túnica bordada, puro linho
Sorteada a quem não merecia
Com a cruz que pesada conduzia
Recebia tabefe e chicotada.
JESUS CRISTO PAGOU SEM DEVER NADA
A QUEM NUNCA COBROU DE QUEM DEVIA.

Chega assim ao calvário o Homem-Deus
Corpo nú, pés no chão desfigurado
Quase morto pra ser crucificado
Humilhado até mesmo pelos seus
Uma frase: "Jesus Rei dos Judeus"
Bem no alto da cruz quem visse lia
Aos seus pés um discípulo e Maria
Padecendo sem ser crucificada.
JESUS CRISTO PAGOU SEM DEVER NADA
A QUEM NUNCA COBROU DE QUEM DEVIA.

Quando o Cristo de Deus na cruz tombou
Para salvar da morte os seus irmãos
Disse: "Pai, eu entrego em tuas mãos
Meu Espirito" E depois disso expirou
Nesse instante o centurião notou
Que aquele que ali na cruz morria
Era o Filho de Deus,a Profecia
Que por toda Israel era esperada.
JESUS CRISTO PAGOU SEM DEVER NADA
A QUEM NUNCA COBROU DE QUEM DEVIA

Poeta Pe. Brás Ivan Costa Santos

Vendo estas belíssimas construções poéticas destes vates inspirados por Deus, só nós resta dizer: Amém!

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...