domingo, 28 de agosto de 2011

Ao braço do mesmo menino Jesus quando apareceu.

O todo sem a parte não é todo,
A parte sem o todo não é parte,
Mas se a parte o faz todo, sendo parte,
Não se diga, que é parte, sendo todo.

Em todo o sacramento está Deus todo,
E todo assiste inteiro em qualquer parte,
E feito em partes todo em toda a parte,
Em qualquer parte sempre fica o todo.

O braço de Jesus não seja parte,
Pois que feito Jesus em partes todo,
Assiste cada parte em sua parte.

Não se sabendo parte deste todo,
Um braço, que lhe acharam, sendo parte,
Nos disse as partes todas deste todo.

Poeta Gregório de Matos

domingo, 21 de agosto de 2011

Saudade...

Sem querer volto à casa do passado
Percorrendo os corredores da ternura
Me arranho novamente, pois a cura
Que eu busquei, mora lá, do outro lado
Se não quero, a lembrança faz traslado
Me transporta , atinado ao teu olor
Minha boca, lembra a tua, teu sabor
O teu mel, ainda com gosto de capa
Tua imagem, da lembrança não escapa
A saudade, me espinha e cheira a flor

Poeta Aluisio Lopes

domingo, 14 de agosto de 2011

A Lágrima

A Lágrima
de Augusto dos Anjos

- Faça-me o obséquio de trazer reunidos
 Cloreto de sódio, água e albumina…
 Ah! Basta isto, porque isto é que origina
 A lágrima de todos os vencidos!

-”A farmacologia e a medicina
 Com a relatividade dos sentidos
 Desconhecem os mil desconhecidos
 Segredos dessa secreção divina”

- O farmacêutico me obtemperou. -
 Vem-me então à lembrança o pai Yoyô
 Na ânsia física da última eficácia…

E logo a lágrima em meus olhos cai.
 Ah! Vale mais lembrar-me eu de meu Pai
 Do que todas as drogas da farmácia!

Pedro Torres