domingo, 21 de agosto de 2011

Saudade...

Sem querer volto à casa do passado
Percorrendo os corredores da ternura
Me arranho novamente, pois a cura
Que eu busquei, mora lá, do outro lado
Se não quero, a lembrança faz traslado
Me transporta , atinado ao teu olor
Minha boca, lembra a tua, teu sabor
O teu mel, ainda com gosto de capa
Tua imagem, da lembrança não escapa
A saudade, me espinha e cheira a flor

Poeta Aluisio Lopes
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...