quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A Carta

Nesta carta quero dizer-te
O quanto sinto a sua falta
O quanto o vento é forte e frio
Quando estou sem você...

Que és tu a minha alegria
A frase exata que me diria
Sentir o calor do ar que te rodeia
Bem no ponto de partida
De onde tudo ora inicia
Mais cedo do que nos tarda

Porque é com amor que se segue
À estrada virtuosa da felicidade
Pois quando lá no porto de chegada
Pesaremos as nossas vidas
Que somente a nós nos é devida
E receberemos cada um sua medida

Vamos sem medo de sermos felizes
Vamos deixar o amor acontecer
Vamos deixar com o tempo as cicatrizes
Vibrar de emoção e vida a cada amanhecer.
Vamos...

Pedro Torres

terça-feira, 26 de outubro de 2010

À José, Serra.

Nasceu planta, foi madeira
E tão logo foi cortada
Depressa foi transportada
Pra transformação primeira.

Ficou de outra maneira
Pois foi toda picotada
E a serragem transformada
Em papel de prateleira.

Daí seguiu pro escritório
Pra escola ou pro cartório
O seu destino fiel.

Porém não seguiu ditosa
E virou uma criminosa
Bola bomba de papel.

Jorge Filó

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Comunhão

Voaria esta cidade inteira
Como antes fizera, e beberia até a sorte.
Nós vamos beber esta noite
E vamos viver além da morte

Bem longe das ondas da praia
E bem perto de nossas casas
Assistiremos a todas as plateias
Abateremos os preconceitos

Deixemos as estações seguirem seu curso
Combatamos juntos, aguerridos de pulso
Ergamos pontes entre os que se calam

E os que demais falam
Vençamos o rei absoluto.
Não seríamos sós

Se da bebida amarga que apaixona
Dessa inquietação de folguedos
Conosco todos tomassem um gole
A vida seria comunhão...

Pedro Torres

Pedra bruta

Porque lapidar-se diamante?!...
Se se lhe alcança a formosura,
Desde que reles pedra dura
De brilho infindo e irradiante?...

E se de mera matéria pura,
De substância, sem mistura,
Fosse o tudo e o nada feito
Senhores de um teu direito

Espera o verso acabar,
De sair pela garganta...
Dá-me licença um pouco,
Tenho que chorar
Já volto com a poesia toda...

Em busca de encontrar-te
Fechei os olhos pra ver-te
E pus-me a vagar a esmo
À procura de mim mesmo

Fiz uma tentativa breve
Deixar Minh ‘alma leve
No alvor, tanta pureza.
Quanto se via natureza

Não, não quero ser d’aonde
Tudo é mera perfeição
Onde a terra é tão cheirosa
Tal perfume de marmeleiro

Cada curva tem o cheiro
De estrada perigosa
E de poetas, a inspiração...

Pedro Torres

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Et estiagem

Uma chuva dessas
Que da Terra a sede mata
Acordei de um sonho bom
E tu estavas ao meu lado
Antes e depois do sonho.

Eras tu o frescor da brisa suave
Da chuvinha fina ainda caindo
Fazendo barulho lá fora e nós alheios...
Que sonhamos um mesmo sonho...

Estava no fim da estação seca
Naquele período interposto
Da morte das paisagens ocres
E tudo que se lhe revelasse cor

E não temêssemos mais a dor
E a saudade não nos banhasse mais
E fosse repleta somente a nostalgia
De um sorriso de alegria no orvalhar...

Pedro Torres

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Elixir

Ter que partir
Agradecer e seguir
A dor de sentir
O plantar e florir
O desenho de colorir
Falar e ouvir
Começar e desistir
Ao longe, devagar, ir
De o farol reluzir

A ideia expandir
O calar e o bramir
Amar, existir
O gemer e o sorrir
Aumentar e reduzir
Desistir, persistir
Gerar, parir
Chegar, partir
O poema elixir...


Pedro Torres

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Dúvidas

Quando não souber o que fazer e nem pra onde ir, paro o mundo e desço!

Pedro Torres