segunda-feira, 29 de março de 2010

Condito

Ou tal ater-se sem se atar,
Atear sem se queimar,
Dirá viver sem se atirar...

E seguir sem se abater,
Em um amar, sem viver...

Quero as mentiras mais suaves da vida
E de ti os beijos mais doces
Os abraços mais quentes e ternos, quero.

Ou que fiques dormindo um sono bem bom
Enquanto faço café, após nosso amor vingar-se
De toda saudade que sentimos àquele tempo...

Eu quero a tua companhia e teu desejo
Egoisticamente te quero inteirinha minha
E cuidarei de nossas crias, com todo o amor dessa vida
Da luz que irradias no olhar e do teu pulso forte.
Da harmonia, da paz, da calma, da perfeição... Tudo!

Pedro Torres
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Direito à Réplica Poética...